quarta-feira, junho 15, 2005

Não faz mal

Se as palavras que tens para mim forem de censura, não as digas nem em silêncio. Se apenas tens críticas para me oferecer, guarda-as, porque eu encarrego-me das minhas próprias críticas. Se te juntas a mim apenas para me fazeres saber que não concordas comigo, então deixa-me só, porque tu estás no teu direito de não concordar, mas eu estou no direito de não me deixar magoar mais.
Tropecei, e caí. Parti a cabeça, e quando levei as mãos ao chão para atenuar a queda, esfolei-as todas, fiz sulcos profundos, e a dor da carne ferida reflectiu-se por todo o corpo. Bati também com os joelhos, e quando me quis levantar estes fraquejaram, e tive que me sentar no chão para recuperar. Foi desse chão que eu te escrevi. Não sei quanto tempo estive sentada, mas foi muito. Estou magoada, observo os meus braços repletos de escoriações, marcas de mãos que me tentaram agarrar ao longo do tempo, as minhas costas estão marcadas pelo chicote da minha própria consciência. O meu ventre está rasgado, marcado pelas minhas próprias mãos. Tenho sangue nas minhas unhas, o meu sangue misturado com o teu… Arranhei-te quando tentava impedir que me fugisses dos braços, e agarrei-me a mim mesma quando descobri que apenas abraçara um sonho. Contraí os dedos no meu ventre e puxei. A dor… qual dor, o meu coração estava muito mais magoado, e só hoje começo a sentir as restantes feridas a latejar. Sim, hoje é talvez um dia de festa, porque o meu coração deixou de doer.
Apoio uma mão no chão, e a dor atravessa-me de alto a baixo. Cerro os dentes, fecho os olhos, respiro fundo e… força! Levanto-me lentamente, ergo-me com dificuldade, tapo os ouvidos, não quero ouvir as gargalhadas de troça, também não quero ouvir dizer que fui avisada que a estrada tinha pedras e que eu não devia correr, não quero, não quero nada!
E é por isso, que se não tiveres para mim o carinho que preciso para sarar as minhas feridas, não faz mal, porque enquanto não me levantava, eu descobri como cuidar de mim sozinha.

4 comentários:

Pescador disse...

Amanhã, com os olhos menos cansados e com espirito mais sossegado vou comentar este post..
...
além disso e de certa forma revi-me em algumas das palavras que aqui li...
...
Um bj muito doce , um sorriso rasgado e sincero e votos de uma noite descansada e em paz
Pescador

Pescador disse...

Ao ler-te, lembro-me de quando tive ai...,
no chão,
chão no qual não cai nem tropecei...
apenas o local onde me deitei e esqueci,
ou tentei esquecer...,
nos braços de todos os presentes que tentavam abafar um só passado

No meu corpo não há marcas, nem sangue nas mãos...,
apenas cicatrizes espalhadas pela minha alma e pelo meu coração
e ditadas pela fraqueza de quem outrora foi cobarde...
Não houve sonhos,
apenas uma história que não devia ter existido ...
mas que existiu...
um homem e uma mulher que não se podiam ter amado,...
mas que se amaram...
E a única dor que senti foram as lágrimas ...
as lágrimas que a minha alma chorava à noite ... à sombra da lua
as mesmas que secaram todas no meio do meu peito
...
Sabes minha doce Drops, fico feliz
porque sinto que já não te doi tanto o coração..
e que já te sentes com força para te levantares
Fico feliz porque descobriste que podes cuidar de ti sozinha
porque as feridas vão começar a sarar
a dor vai começar a se diluir
e lentamente uma doce nostalgia irá substitui-la !!
Fico feliz porque sinto que tu és uma mulher forte,
uma mulher com uma alma bela
que por certo tem hoje nos olhos um brilho que ontem não tinha
o brilho da coragem e da vontade
de ser mais do que aquilo que é
de ir para além do lugar onde está
de viver tudo aquilo que apenas sonhava

Bjs doces
e um sorriso sincero de quem te leu ...
e sentiu-se feliz ;-) !!

Pescador

Drops disse...

espelhou-se-me um sorriso na alma, e os meus olhos brilharam novamente...

a vida de todos nós dá cambalhotas e reviravoltas, todos sofremos um dia... como alguém disse "we all have a story to tell" é bom contá-la, e saber que não é tão diferente assim da realidade de outros.
e no fim, teces-me elogios indevidos, e mesmo assim eu coro perante as tuas palavras.

obrigada pescador, poeta, portador de palavras reconfortantes...
Um beijo doce e um abraço apertado
Drops

mary disse...

L I N D O